Os Inclusos e os Sisos

Quatro homens, de pé, e três mulheres, de joelhos, olhando e sorrindo para a câmera. Todos/as usam uma roupa de cor única diferente.
Formação atual do grupo Os Inclusos e os Sisos

O grupo de teatro “Os Inclusos e os Sisos” é o único no mundo que realiza todos os seus espetáculos e atividades com a máxima acessibilidade. É uma experiência teatral para todas as pessoas, com e sem deficiência. A iniciativa surgiu em 2003, quando a atriz e apresentadora Tatá Werneck reuniu outros estudantes de artes cênicas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) para criar o grupo como um projeto da Escola de Gente.

Para ser realmente acessível, utilizamos mais de 10 recursos de acessibilidade física e comunicacional simultaneamente: língua de sinais, Libras tátil, legenda, audiodescrição, material de comunicação em braille, letra ampliada e formatos digitais, assentos reservados para cadeirantes ou quem tem mobilidade reduzida, visita tátil ao cenário, linguagem simples, banheiros adaptados e atendimento com acessibilidade desde a fila - além da acessibilidade física geral dos locais de apresentação. 

Todas as apresentações e atividades são completamente gratuitas, e abertas para pessoas de todas as faixas etárias. Ao longo de seus 16 anos de existência, o grupo se apresentou para mais de 100 mil pessoas em todas as regiões do Brasil. Já recebemos vários reconhecimentos ao longo dos anos, inclusive uma menção na ONU como uma das experiências mais inovadoras do mundo na área de inclusão e o prêmio Cultura Populares - Edição Selma de Coco, do Ministério da Cultura.

Descrição da imagem: quatro homens, lado a lado. Um deles toca um banjo, e os outros estão observando o primeiro, sorrindo.

Um dos textos de maior sucesso do grupo é o espetáculo de esquetes, baseadas no livro “Ninguém mais vai ser bonzinho na sociedade inclusiva”, de autoria de Claudia Werneck. Além das peças serem apresentadas com total acessibilidade, elas tratam de inclusão. Os esquetes, por exemplo, falam sobre situações cotidianas em que o público pode facilmente se reconhecer. Através dela, a plateia pode perceber algum preconceito próprio que nem imaginava ter, ou então descobrir que lida com certa situação de maneira imprópria - e tudo, claro, sempre com muito humor!

Oficinas de Teatro Acessível

É uma atividade de formação em inclusão, acessibilidade, não-discriminação e direitos de pessoas com deficiência, realizada com metodologia criada pela Escola de Gente, a partir do seu acúmulo de 17 anos no desenvolvimento de projetos que sensibilizam as pessoas a respeito da importância da construção da sociedade inclusiva. Ela é resultado da união de duas iniciativas marcantes da organização: as Oficinas Inclusivas e o grupo “Os Inclusos e os Sisos - Teatro de Mobilização pela Diversidade”. Por meio de jogos teatrais, os/as participantes mergulham em reflexões sobre os temas da formação. Não há respostas prontas, nem certas ou erradas. A condução da atividade estimula as falas, relatos, experiências e questionamentos de quem participa.

Uma das várias dinâmicas da Oficina de Teatro Acessível é aprender o alfabeto em Libras, com o apoio do/a intérprete de Libras levado por nós.

A condução da Oficina de Teatro Acessível é de um ator e uma atriz do grupo, que dividem a responsabilidade das dinâmicas. Em uma delas, o/a audiodescritor/a assume a liderança e, em outra, quem faz é o intérprete da língua de sinais. A atividade conta sempre com oito recursos de acessibilidade: Libras, audiodescrição, linguagem simples, material de comunicação em braile e formatos digitais, assentos reservados para pessoa com mobilidade reduzida, rampas de acesso, banheiro adaptado. A duração é de 3 a 4 horas.

As Oficinas de Teatro Acessível são realizadas principalmente em áreas de baixa renda